Tipos de argamassa: descubra como escolher

A etapa de revestimentos de uma obra exige muito cuidado e observar a qualidade da argamassa, que é um produto muito utilizado nessa fase, faz toda a diferença para o resultado final. Pensando nisso, hoje apresentamos um conteúdo especial sobre a indicação de cada argamassa, bem como as suas formas de aplicação e dicas para que você escolha a opção correta.

 

Argamassa: o que é e para que serve?

“A argamassa é um material composto basicamente por cimento, areia e aditivos”, explica João Carlos Gabriel, professor de Engenharia Civil da Universidade Presbiteriana Mackenzie Campinas. É usada para assentamento de blocos e tijolos, impermeabilização, regularização e acabamento de superfícies.

De acordo com João, as principais argamassas utilizadas são as convencionais realizadas pelo pedreiro sob orientação de um engenheiro civil para fins de assentamento de blocos e tijolos. Mas, a seguir, o professor explica detalhadamente as classificações e finalidades das argamassas disponíveis no mercado:

 

Argamassas colantes: classificadas em 4 tipos: AC-I, AC-II, AC-III e AC-III E.

–  AC-I são mais resistentes aos esforços, temperatura e umidade em ambientes internos, sendo assim indicadas para áreas úmidas ou secas.

– AC-II tem boa aditividade e resistência à umidade e temperatura. A recomendação de utilização é em fachadas, revestimentos de piscinas e na aplicação de pisos cerâmicos em áreas públicas.

– AC-III tem melhor aderência que as AC-I e AC-II. Indicada para aplicação em locais como saunas e piscinas de água quente, pois possui maior resistência às variações de temperatura.

– AC-III E é uma variante da argamassa anterior, porém com maior tempo de cura.

 

Além das classificações, João recomenda atentar-se aos seguintes pontos:

Argamassa de grauteamento: recebe uma adição de superplastificante para deixar o graute super fluido e facilitar a trabalhabilidade.

Argamassa de assentamento: deve promover aderência entre os elementos de vedação ou estruturais como tijolos e blocos, ter resistência estrutural, além de ser impermeável para dificultar a higroscopicidade.

Argamassa de revestimento: a finalidade é cobrir, nivelar e proteger as alvenarias de fechamento estrutural.

Argamassa para pisos: aqui o ponto de atenção é que a argamassa deve promover a aderência entre o contrapiso e o piso.

 

Como aplicar argamassa corretamente?

Não basta escolher uma opção de qualidade e indicada para o objetivo da sua obra se o material não for trabalhado corretamente. Por isso, o professor João explica o passo-a-passo para a correta aplicação:

  • Limpar, nivelar o contrapiso e deixar secar bem. Se o contrapiso foi feito recentemente, sugere-se que o tempo de secagem seja de, pelo menos, 14 dias.
  • Elaborar o plano de assentamento dos pisos para manter a estética, e selecionar a argamassa, de acordo com o ambiente de colocação do piso: ambiente seco ou ambiente úmido. O contrapiso deve estar livre de sujidades e bem nivelado.
  • Definir os níveis de referência do piso (pontos de referência e declividades), e preparar a argamassa conforme especificado pelo fabricante;
  • Aplicar com a desempenadeira uma camada de argamassa sobre a área do piso, formando os sulcos. Com a desempenadeira aplicar a argamassa também no piso.
  • Assentar o piso e nivelar. Colocar os espaçadores entre os pisos para manter a distância correta especificada pelo fabricante de pisos
  • Limpar o excesso e deixar secar.

 

Como não errar na escolha da argamassa:

A argamassa escolhida deve ser a correta, dependendo do ambiente: seco ou úmido. Além disso, é essencial preparar a argamassa, de acordo com as especificações do fabricante, por isso, leia sempre as recomendações da embalagem. O mesmo vale para o assentamento de revestimentos, siga sempre as recomendações do fabricante, além de contar com um profissional qualificado para esse trabalho. João reforça que essas recomendações são fundamentais, pois quando não são seguidas, podem ocorrer problemas, tais como: descolamento, piso oco, empoçamento de água e pisos com espaçamentos diferentes que ficam esteticamente irregulares.