FAÇA VOCÊ MESMO: LEVE ESSA TENDÊNCIA PARA SUA LOJA DE MATERIAIS

Uma das tendências que ganham cada vez mais força entre as pessoas é o do conhecido DIY (do it yourself), ou o “Faça Você Mesmo”. A busca por itens, materiais e ferramentas para realizar atividades manuais, como montar e construir produtos de decoração até pequenas reformas e mudanças em casa, vem ganhando a atenção dos consumidores nos últimos anos.

 

De acordo com o José Maurício Conrado, Professor de Publicidade e Propaganda da Universidade Presbiteriana Mackenzie, DIY é uma tendência muito forte, por possuir um aspecto muito importante para a cultura contemporânea, que é o indivíduo. “Nós temos a ideia do prosumer, discutida pelo autor Alvin Toffler. Por exemplo, quando vamos no mercado, nós pagamos e também embalamos nossa própria compra. Essa é uma ideia que está presente na cultura contemporânea. O papel do indivíduo é muito relevante hoje. O indivíduo tem autonomia. Então o DIY é uma tendência ligada à autonomia do indivíduo que é valorizada na cultura contemporânea”, detalha. 

 

COMO FICAM AS LOJAS NESSA TENDÊNCIA?

 

Antes de incluir alguma tendência na loja, o lojista deve compreender que essa é uma questão que precisa ser avaliada e estudada com detalhes, alerta o professor. Incluir uma novidade ou uma moda no mercado não é garantia de gerar uma imagem positiva para o estabelecimento. Caso ela não ofereça uma experiência boa para o consumidor, pode ter o resultado contrário ao esperado. 

 

Porém, em um cenário positivo e que faça sentido, as lojas de construção devem incorporar essa tendência, mas elas precisam ter uma visão muito nítida sobre o que ela tem a oferecer em relação ao faça você mesmo. “Quando se pensa em levar essa tendência para a loja, você pode olhar para a questão do autoatendimento, onde o consumidor pode praticar o “Faça Você Mesmo” na loja, nesse caso o lojista deve oferecer esses recursos e segurança para o autoatendimento.  Mas também olhar em relação à venda dos produtos para DIY”, explica o professor.

 

A experiência do consumidor é de extrema relevância para o sucesso na implementação de uma tendência na loja. No caso de DIY, se seguir o caminho do autoatendimento do cliente na loja, ao possibilitar que ele monte ou estruture algo no local, é essencial que o estabelecimento ofereça todas as condições para que a autonomia do comprador aconteça. 

 

Se não está evidente para o consumidor como ele pode fazer o auto atendimento, ou como ele deve se guiar pela loja para conseguir o material de DIY, nesse caso a sinalização é essencial, o resultado final é um ruído entre a loja ou marca e o cliente. 

 

BENEFÍCIOS  DO FAÇA VOCÊ MESMO

 

Para o professor de Publicidade e Propaganda, os benefícios de levar a tendência de DIY para lojas de materiais de construção são evidentes. Atualmente, as redes sociais funcionam como a comunicação de empresas, lojas e marcas, ao implementar a cultura de DIY amplia essa comunicação também para os consumidores da loja. “O grande benefício de se adaptar a essas tendências é você estar aberto a ser bem comentado. Mas essa adaptação deve ser bem feita, para que vire um comentário positivo. Comentários do tipo “Essa loja está inserida dentro desse conceito”. Para que não vire um ruído e um comentário negativo”, destaca Conrado.

 

Os lojistas devem estar atentos a esse benefício. Hoje o consumidor é um forte aliado para aumentar o conhecimento e alcance de lojas e marcas. Ambos podem trabalhar para fortalecer a cultura de DIY na loja e nas redes sociais. O cliente quer mostrar como uma reforma deu certo ou como conseguiu construir algo ele mesmo. 

 

A IMPORTÂNCIA DE OLHAR PARA O CLIENTE

 

O professor destaca a importância do constante estudo do mercado para aplicar tendências na loja. “No marketing chamamos de micro ambiente aquilo que podemos controlar, as variáveis que a gente controla. O macro ambiente é a variável que a gente não controla. É muito importante estudar esses dois  contextos”, comenta Conrado.  

 

Ficar de olho nos comportamentos do consumidor e ouvir as necessidades e demandas dos clientes é um importante caminho para implementar com sucesso as tendências do faça você mesmo. Dessa forma é possível identificar se existe alguma dificuldade de identificação nos corredores da loja, quais itens mais utilizados e quais são os que mais faltam. E as redes sociais também devem ser consideradas. “É claro que nem sempre os comentários são plausíveis, mas aqueles que são coerentes são importantes. São pistas valiosas para entender o caminho”, alerta o professor. 

 

É necessário um estudo diário, porque os comportamentos sempre mudam, e quando falamos de tendências e novidades mais ainda.

 

CONFIRA TAMBÉM:

Revestimento 3D: o que é e como funciona