Revestimento para fachadas: dicas para uma escolha durável

Muitas fachadas de residências ainda utilizam materiais como tintas para serem revestidas. No entanto, o contato com a umidade e com fatores externos pode tornar este tipo de pintura menos durável. Por isso, é importante entender quais os tipos de revestimentos e suas características para definir qual é a melhor solução de revestimentos para fachadas, com o objetivo de aumentar a durabilidade dos materiais aplicados ali.

De acordo com Victor Tomé, diretor de projetos da City Soluções Urbanas, o revestimento para fachada depende muito do que o cliente quer conceber. Para prédios e comércios ou um empreendimento mais baixo, a parte da estética pode contar muito, mas é importante ter atenção com relação aos materiais utilizados na fachada e suas consequências, pois dependendo da escolha podem acabar refletindo a luz solar e causar alterações na temperatura do ambiente.

Revestimento para fachada: observações e tecnologias

Ainda segundo o diretor de projetos, quando é executado um revestimento de fachada a melhor tecnologia é a fachada ventilada, pois não fica aderido, ou seja, assentado. “Quando a gente faz a aderência do porcelanato ou granito na fachada com argamassa na parte dos rejuntes, por conta da chuva ou umidade, pode ocorrer eflorescência”, ressalta. Quando a fachada é ventilada, o revestimento não fica colado, e sim, solto, com uma estrutura metálica atrás que o deixa solto e ventilado, então, não apresenta esse problema de ocorrer uma fissura como a eflorescência – o que a longo prazo é muito melhor.

Além disso, tem uma série de aspectos na hora de escolher o revestimento ideal para fachadas que precisam ser observados. Como quanto ao acabamento e a parte estética, é importante atentar-se a paginação para estudar as emendas. “Quando a fachada é muito alta também precisa ser pensada a manutenção e durabilidade do produto”, ressalta. Por isso, é importante adquirir uma boa marca de porcelanato com as especificações técnicas corretas e com boa durabilidade, além de observar se o mesmo produto pode ser instalado nas áreas externas. “Nesse ponto, observar os detalhes do produto e a especificação técnica fornecida pelo fabricante é fundamental”, complementa.

Uso de pinturas no revestimento de fachadas

O uso da pintura e textura é comum na maioria dos lugares pela facilidade na manutenção. “A maioria dos projetos que fazemos na parte de prédios e casas, utilizamos, basicamente, a pintura, pois é possível obter efeitos variados”, ressalta. Já na parte de baixo dos prédios são utilizados mais os revestimentos porque é mais fácil de fazer a manutenção, fica mais próximo dos olhos, então, é preciso investir mais para dar mais nobreza. Em casas e em comércios, os detalhes também ficam na parte inferior, com a escolha do revestimento que facilite a manutenção.

A escolha das cores para o revestimento também é um ponto fundamental, pois aquelas mais claras absorvem menos o calor e as cores escuras absorvem mais calor, então, principalmente, em locais quentes é importante fazer a escolha adequada para cada região e cidade. No caso das tintas, o ideal é atentar-se para a qualidade e também para a textura a fim de identificar qual é a opção ideal para a aplicação em cada espaço. Considerando tintas para fachadas, a mais indicada é a textura, por conta de ter menos defeitos nos planos de parede. “Qualquer tipo de textura tende a ter um acabamento melhor e esconder melhor possíveis defeitos”, ressalta. Outro benefício da pintura é que ela tem um melhor custo-benefício e a manutenção também é mais simples, apesar de ser mais frequente.

 

Otimizar espaços durante o home office é fundamental para contar com um ambiente de trabalho mais produtivo. Confira nossas dicas neste material exclusivo:

https://landing.grupofragnani.com.br/home-office