Área externa: qual o tipo de piso ideal

Aqui no Portal da Incenor trazemos muitas dicas para os ambientes internos de casa, mas com a chegada das férias de verão, dedicamos um espaço para falar dos pisos ideais para a área externa, que costuma receber mais atividades nesse período, e com uma atenção especial pode oferecer ambientes muito mais agradáveis para que a sua família saia da rotina, sem sair de casa.

 

Principais tipos de pisos para as áreas externas

De acordo com João Carlos Gabriel, professor de Engenharia Civil da Universidade Presbiteriana Mackenzie Campinas, os principais pisos para as áreas externas são os de cerâmicas e os de rochas. Confira a seguir os principais tipos que ele elencou para essa finalidade:

 

Cerâmica: resistentes e duradouros, esses tipos de revestimentos são bastante versáteis e uma excelente opção para quem busca qualidade, custo benefício, beleza e resistência, já que performam bem em ambientes externos com mudanças climáticas. A cerâmica é bastante adaptável a diferentes projetos, e a indicação é escolher um material que tenha coeficiente de atrito maior que 0,4, que é considerado antiderrapante, sendo assim, ideal para áreas molhadas.

Porcelanato: o porcelanato é uma opção interessante para quem busca pisos mais sofisticados e com alta resistência na área externa. Permite a criação de projetos personalizados, e apesar de o custo ser maior, a resistência e o acabamento final compensam, e o único ponto de atenção é conferir as recomendações do fabricante, pois existem diferentes indicações de porcelanato para áreas externas cobertas e para aquelas totalmente expostas.

 

Cimento queimado: esse tipo também é utilizado para área externa, mas aqui cabe o cuidado de contratar um profissional especializado, já que devido à variação de calor, o piso pode formar trincas e quando molhado, também pode tornar-se escorregadio.

               

Ladrilho hidráulico: trazem um visual retrô para a decoração e são fabricados a partir de uma base de cimento. Esse material demanda impermeabilização para que se torne resistente à água, sujeira e manchas.

 

Mármore: revestimento nobre, geralmente é utilizado para levar um toque de sofisticação a ambientes externos específicos, como o espaço da piscina e do jardim. Requer alguns cuidados especiais na hora da limpeza.

 

Granito: outra opção nobre e resistente para áreas externas, mas que demanda conhecimento técnico adequado para que a escolha atenda as necessidades de cada ambiente.

 

Como escolher o tipo de piso ideal

“O tipo de piso deve ser escolhido pelo usuário (proprietário) de acordo com a estética e arquitetura da casa e deve combinar com os demais ambientes da casa (edificação)”, orienta João.

Estes pisos devem ser laváveis e antiderrapantes, se estiverem em um ambiente propício para chuva ou em locais com piscina, para que as pessoas não escorreguem.

“Outro ponto que deve ser observado é o custo. Alguns pisos são muito mais caros que outros. O cliente deve selecionar o piso, de acordo com a estética e o custo. Ele deve lembrar que o piso geralmente ficará instalado por um longo período de tempo (décadas, às vezes)”, complementa.

 

Quais outros fatores devem ser considerados?

  • Estética e arquitetura do projeto da casa;
  • Rugosidade ou não da superfície do piso, conforme local da área externa e quantidade de umidade;
  • O custo, nesse caso avaliando sempre o custo benefício, pois como já falamos, um piso pode durar anos, e até mesmo décadas;
  • Disponibilidade de profissionais especializados para a mão de obra e avaliação geral do custo de colocação;
  • Tipo e custo da argamassa de assentamento;
  • Facilidade de limpeza e de manutenção no geral;
  • Cor, devido ao ambiente externo, e sujidades, como pós e poeiras, que podem manchar o piso.

 

Porcelanato de madeira: o que considerar em cada ambiente