Dicas de como limpar e fazer a manutenção do rejunte em casa

02 fev 2022

 

Engana-se quem pensa que o rejunte é simplesmente a argamassa que preenche os espaços entre pisos e azulejos. Ele é muito mais do que isso e demanda cuidados especiais. O rejunte desempenha papel fundamental na engenharia e arquitetura dos ambientes, pois é responsável por suportar e dar apoio a dilatação das placas de revestimento – consequência de questões climáticas de temperatura e da umidade de alguns cômodos.

O azulejista profissional e apresentador do canal Papo de Obra no Youtube, Gustavo F. Silva, explica que o rejunte é uma argamassa polimérica flexível. Devido a essa característica, ele pode acumular resíduos e sujeiras em seus poros, além de sofrer pequenos trincos e descascar. Trata-se de uma adversidade natural e comum, mas que exige atenção.

As dúvidas sobre como limpar e quais produtos utilizar, assim como saber quando realizar a troca ou manutenção, são bastante comuns. Para facilitar o entendimento sobre o tema, o azulejista esclarece as principais questões e mitos sobre o rejunte. Continue lendo, fique por dentro do tema e aprenda a cuidar desse tipo de acabamento.

 

Inspeção e manutenção técnica são essenciais

Você sabia que o rejunte precisa de manutenção técnica periodicamente? Pois é. A cada quatro anos, é necessária a visita de um profissional – arquiteto, engenheiro ou azulejista – para fazer uma inspeção presencial de modo a analisar a saúde do material.

“As placas de revestimento estão em constante movimento. Esse fenômeno pode impactar o rejunte. Por isso, é fundamental que um profissional qualificado avalie se há necessidade de remover ou realizar uma manutenção”, explica o azulejista.

Pode até parecer simples, mas a substituição do rejunte não é tão fácil quanto se imagina e precisa ser feita por profissionais especializados. A remoção é feita com equipamentos específicos e que não danificam os pisos e azulejos. Fazer esse reparo de maneira errada pode acarretar futuros prejuízos.

Vale lembrar que existem três diferentes tipos de rejuntes (cimentício, acrílico e epóxi) e métodos de aplicação variados, por isso, a ajuda profissional é fundamental. Além disso, cada cômodo exige o material correto a ser aplicado, como banheiros e áreas externas. “Os revestimentos possuem características próprias e espaçamento correto entre as placas, e isso deve ser respeitado na manutenção e nos reparos do rejunte”.

Limpeza periódica previne manchas

Assim como a manutenção técnica, a limpeza também deve ser realizada regularmente. É recomendado que essa atividade seja feita semanalmente como uma forma de prevenção. O cuidado constante pode ajudar a prevenir o acúmulo de sujeiras e evitar manchas. “Uma dica é fazer a limpeza do rejunte sempre que fizer a limpeza do revestimento”, diz Gustavo. Essa atividade pode ser feita por você ou por profissionais de limpeza doméstica.

É preciso destacar que alguns cuidados devem ser tomados na hora de limpar. Evite produtos químicos como ácidos, pois eles demandam conhecimento profissional e nem todo mundo sabe como utilizá-los de forma correta e segura. Um erro pode custar a saúde do rejunte e dos pisos e azulejos. Gustavo recomenda produtos básicos de limpeza utilizados no dia a dia, como detergente neutro.

Ainda sobre limpezas leves, o azulejista também dá algumas dicas sobre receitas caseiras que podem auxiliar e facilitar essa atividade. “Indico o uso de vinagre e bicarbonato de sódio. Para o primeiro, é necessário aplicar e aguardar cerca de 20 minutos para remover. Já o bicarbonato pode ser aplicado e removido logo em seguida”.

Para limpezas pesadas, o ideal é contar com o suporte de uma empresa especializada em limpeza pós-obras ou recorrer a produtos que estão no mercado e são próprios para essa atividade.

 

Aprenda a reconhecer os sinais

É preciso observar bem os rejuntes. Busque por alteração de cor e trincos, e verifique se eles estão se soltando do revestimento. Esses sinais podem indicar algumas situações um pouco mais graves, como infiltração e capilaridade, por isso é preciso analisar com atenção e buscar ajuda se necessário, evitando, assim, a perda de pisos e azulejos.

“A maneira mais fácil de reconhecer se um rejunte precisa de manutenção é, primeiramente, observando os prazos de vistoria técnica. Mesmo que ele não esteja apresentando problemas, a manutenção e inspeção técnica periódica é indispensável”, reforça Gustavo.

 

Agora que você aprofundou os seus conhecimentos sobre os rejuntes, que tal aprender mais sobre as argamassas colantes? Acesse: https://www.grupofragnani.com.br/blog/escolher-argamassa-colante/

Deixe o seu comentário

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Conteúdos relacionados

Gostou do conteúdo? Compartilhe!