Como escolher porcelanato para a sua residência

Cada vez mais as empresas do setor da construção civil estão promovendo o uso de materiais de qualidade, a fim de garantir maior durabilidade dos empreendimentos. Os consumidores estão preocupados, além da parte estética, com a qualidade dos produtos e materiais que irão permear por anos dentro da sua residência.


O porcelanato tem cada vez mais se mantido como favorito, devido a sua resistência e versatilidade, que fazem com que ele seja muito utilizado tanto no meio corporativo quanto nos ambientes residenciais. Suas qualidades também o fazem ser o preferido pelas incorporadoras na etapa de revestimentos de seus empreendimentos.
Segundo Karla Patrícia, arquiteta e urbanista da Norden Arquitetura, principalmente, no caso de edifícios, onde são construídas muitas unidades de apartamentos, é essencial que os projetistas entendam muito de revestimentos e acabamentos focados, principalmente, em atender às normas. Uma das normas é a Norma de Desempenho, a ABNT NBR 15.575, que estabelece parâmetros para melhorar o desempenho dos imóveis.


O mercado hoje exige a utilização desta norma que se tornou praticamente um guia para os profissionais da construção civil com relação à utilização de argamassa colante para revestimentos cerâmicos de fachadas e paredes externas. O texto foi atualizado recentemente, a fim de melhorar a sua compreensão e a sua utilização ao estabelecer com que os projetos fossem entregues de maneira mais homogênea, o que proporcionará também maior durabilidade e evolução do conhecimento técnico com relação a sua execução.

 

Como escolher o tipo de porcelanato ideal para a sua residência

Dentro das normas existem alguns princípios a serem seguidos, como a espessura e outras informações que determinam a qualidade do produto. Cada piso deve ser especificado conforme a norma que garantirá a segurança dos moradores. “Quando se fala em lavanderia, box e varandas, onde existe muita água, o que torna o piso escorregadio e gera mais riscos de acidentes, então, precisa-se de maior proteção e um coeficiente de atrito maior do que 0,4”, ressalta. 

Por isso, na hora de definir o tipo de porcelanato ideal para a sua residência, não basta apenas levar em consideração a aparência, é importante imaginar os ambientes e para quais finalidades serão utilizados, quais serão os ambientes molhados e quais os ambientes mais secos. “Perceber quais serão os ambientes com lâmina d’água e que precisam de características distintas é fundamental para não errar na hora de escolher o porcelanato”, orienta.

Um porcelanato polido pode ser utilizado em áreas secas, mas nas áreas molhadas precisam ser pensados com mais atenção. “No caso de cozinhas e lavabo, por exemplo, é um ambiente muito úmido e também mais propício a ser molhado e ficar escorregadio e, por isso, necessita de um coeficiente de atrito maior, ou seja, ele vai ajudar a pessoa a não escorregar e cair, coisa que pode acontecer porque o piso não foi bem especificado”, orienta. 
Por isso, é importante atentar-se para o objetivo de utilização e o local onde o porcelanato será aplicado logo no início do projeto, a fim de extrair do revestimento todos os benefícios de durabilidade bem como a sua garantia. Além disso, é preciso atentar-se também para a escolha do produto bem como a experiência do profissional em sua instalação. “Quando o porcelanato é de baixa qualidade ou é utilizado em um local errado, pode causar problemas e diminuir a sua vida útil”, ressalta.

Baixe o nosso e-book exclusivo e gratuito para saber todas as especificações para a escolha de revestimento porcelanato.