Argamassa e rejunte: entenda a diferença entre eles

Saber a diferença entre rejunte e argamassa é essencial para quem está reformando ou construindo, pois, para que tudo saia como planejado, é necessário conhecer muito bem as suas características e indicações, bem como as etapas da obra e o que cada uma delas exige para garantir um resultado de qualidade.

De acordo com Larissa R. G. J. de OIiveira Flaifel, que é Engenheira e Professora da USJT (Universidade São Judas Tadeu), antes de adquirir um material para realizar o revestimento de uma obra, é essencial atentar-se para algumas informações presentes na embalagem do fabricante com as devidas instruções. Nela e/ou até mesmo na ficha técnica desse material sempre estão presentes informações importantes sobre a aplicação e eventuais características do produto. “Isso inclui não só apenas aplicação, mas também alguns pontos que devem ser levados em conta para e pela mão de obra que vai realizar a instalação, mas também quanto o próprio preparo adequado do material em si”, ressalta.

Além disso, é importante que o vendedor da loja de materiais entenda de que forma esse tipo de material deve ser vendido e quais as orientações com relação à aplicação, devem ser passadas para o cliente. O primeiro passo, é entender as principais diferenças entre argamassa e rejunte e na hora de orientar o cliente com relação a aplicação, ressaltar a importância de se respeitar o tempo de secagem das argamassas colantes conforme indicado na embalagem pelo fabricante.

 

Principais diferenças entre rejunte e argamassas

Tanto a argamassa quanto o rejunte são materiais extremamente importantes para garantir a qualidade final de uma obra. O rejunte, por exemplo, é um insumo utilizado para realizar o preenchimento das juntas, ou seja, aquele espaço que fica entre as peças de revestimentos assentados – tanto porcelanatos quanto cerâmicos – que são aplicados em pisos, fachadas, paredes e etc. Já a argamassa, é uma mistura cimentícia comumente utilizada como base para pintura e outros acabamentos. Ambos os materiais costumam ser utilizados nas mais diversas etapas de obra, tanto em áreas internas como pisos e paredes, como fachadas em áreas externas.

Quando a argamassa é aplicada em uma área exposta, ela costuma proteger o ambiente de diversas intempéries climáticas, como sol forte, ventos, granizo, chuva, entre outros fatores que podem comprometer a vida útil da estrutura, caso não tenha sido planejada e executada de maneira correta, por isso os cuidados de aplicação se tornam ainda mais necessários. Outro detalhe da argamassa é que ela também tem como finalidade proteger a edificação, seja uma casa ou apartamento, impedindo que ocorram vazamentos de água, além de garantir o equilíbrio da temperatura e também minimizar os ruídos externos.

 

Manutenção e armazenamento de argamassas e rejunte

Ainda segundo a docente, a manutenção deste tipo de material é relativamente simples e, após a aplicação, deve ser realizada com a frequência determinada pelo manual do proprietário e/ou sempre que surgir algum tipo de falha, como rachaduras, pois estas podem gerar infiltrações.  “Em média, esta manutenção acontece a cada 2 anos, dependendo do ambiente, se é úmido ou não, se recebe incidência de fatores externos e do nível de uso e etc.”, orienta.

Outra questão essencial é a maneira como é feito o armazenamento desses materiais, tanto a argamassa quanto o rejunte e sempre ficar atento a validade de cada produto, mesmo que eles estejam dentro da embalagem plástica, o ideal é conservar o produto em ambiente seco. Periodicamente, o lojista deve avaliar o estado das paredes do estoque e também os pisos, em busca de falhas ou de sinais de umidade. “Quando ocorrer esta manutenção, ela deve zelar pela preservação dos revestimentos”, complementa.

 

Você sabe a importância de contratar bons fornecedores para a sua loja? Confira aqui:

Pesquisa de fornecedores: saiba como encontrar parceiros de negócios