Como o revestimento pode impactar na acessibilidade na construção

15 fev 2022

Questões sobre acessibilidade se tornam cada vez mais relevantes dentro da construção civil. Arquitetos e engenheiros olham cada vez mais para esse importante assunto buscando soluções melhores e inovadoras para tornar os projetos mais acessíveis para todos.

No Brasil, de acordo com Censo de 2010 do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), são quase 46 milhões de brasileiros, cerca de 24% da população, que haviam declarado algum grau de deficiência, seja ela motora, visual, auditiva ou mental/intelectual. A pesquisa ainda buscou identificar as pessoas que possuem grande ou total dificuldade em realizar atividades habituais. Cenário que mostra a importância de pensar a arquitetura com a acessibilidade.

 

O QUE É ACESSIBILIDADE?

 

A definição de acessibilidade é a de dar possibilidade e condição de alcance, percepção e entendimento para utilização, com segurança e autonomia, de espaços, mobiliários, equipamentos urbanos, edificações, transportes, informação e comunicação, inclusive seus sistemas e tecnologias, bem como outros serviços e instalações abertos ao público, de uso público ou privado de uso coletivo, tanto na zona urbana como na rural, por pessoa com deficiência ou mobilidade reduzida.

Para garantir a acessibilidade em uma construção, a Norma Brasileira ABNT NBR 9050, traça diretrizes que auxiliam na hora de desenvolver o projeto e torná-lo mais acessível. Protegendo a integridade física de todos, ao evitar acidentes, além de levar inclusão social e qualidade de vida para toda a população. 

A arquitetura tem um papel essencial de levar conforto e segurança para o indivíduo e o coletivo. O ambiente impacta de forma física e psicológica às pessoas, e ao ser projetado, o bem-estar e a mobilidade para todos, devem sempre ser levados em consideração.

 

O QUE É REVESTIMENTO?

 

De acordo com  Renato Sahade, professor da pós-graduação de Construções Civis: Excelência Construtiva e Anomalias da Universidade Presbiteriana Mackenzie, os revestimentos são, assim como em um corpo humano, a “pele” de uma edificação, ou seja, a camada mais exposta e que define a proteção, a beleza e a estética da edificação. Auxiliam as vedações no cumprimento das suas funções como o isolamento térmico (30%), acústico (50%) e a estanqueidade à água e aos gases (70~100%). “Portanto, estão sujeitos a todo o tipo de intempéries como o sol, a chuva, o vento, a poluição, os ruídos e suas vibrações, entre outras formas de exposição. Quando bem escolhidos, aplicados e conservados, mais valorizam e mantêm todo o restante do edifício”, completa.

 

O PAPEL DO REVESTIMENTO PARA A SUSTENTABILIDADE

 

Existem diversas formas de tornar um projeto ou uma obra mais acessível. Soluções que vão de uma excelente sinalização, cuidados com portas e aberturas, utilização de barra de apoio, iluminação automatizada ou bem sinalizada, entre outras ferramentas da construção. Deixar a circulação das pessoas melhor e segura. A atenção com o piso e revestimento é uma delas.

 

De acordo com as normas ABNT NBR 9050, os pisos devem atender às características de revestimento, inclinação e desnível. A circulação pode ser horizontal e vertical. A circulação vertical pode ser realizada por escadas, rampas ou equipamentos eletromecânicos e é considerada acessível quando atende no mínimo a duas formas de deslocamento vertical.

 

Quando se fala do revestimento, seu material deve ter a superfície regular, firme, estável e não trepidante, principalmente para dispositivos com rodas, e antiderrapante, sob qualquer condição, seja seco ou molhado. 

 

Revestimento para quartos: confira as opções da Incenor para você

Deixe o seu comentário

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Conteúdos relacionados

Gostou do conteúdo? Compartilhe!